Decifrando os nomes científicos
No segundo artigo desta série apresentámos alguns nomes que constituíam uma descrição das aves, centrando-nos
naqueles que continham uma referência às cores da plumagem (ver Pardela 35). Regressamos agora aos nomes que
estão relacionados com características físicas das aves que descrevem, introduzindo elementos referentes à anatomia
ou à morfologia das aves. Considerando o grande elenco de nomes relacionados com características morfológicas
das aves que descrevem, este tema será abordado em duas partes: no presente artigo apresentaremos alguns nomes
em latim, reservando para o próximo número os nomes com origem no grego.

Quando pensamos na morfologia das aves, há que ter presente que determinados elementos corporais são
suficientes para caracterizar uma espécie. Por exemplo, a presença de uma poupa permite distinguir o
chapim-de-
poupa dos restantes membros da sua família e assim o nome Parus cristatus identifica correctamente esta espécie (o
mesmo sucedendo com o
mergulhão-de-crista Podiceps cristatus, o galeirão-de-crista Fulica cristata e a cotovia-de-
poupa Galerida cristata).
Contudo, e contrariamente ao que acontece com as cores, em que uma simples referência à cor, permite muitas vezes
identificar a ave quando esse é o tom dominante (por exemplo,
Motacilla alba = alvéola-branca), no caso dos
elementos corporais, a situação é geralmente mais complexa, pois na maioria dos casos os membros em questão
estão presentes em todas as aves, por isso é necessário associar-lhes um elemento descritivo (adjectivo).
Consideremos o elemento pescoço (em latim,
collum). O mergulhão-de-pescoço-preto caracteriza-se não apenas pelo
facto de ter pescoço (todas as aves têm pescoço), mas sim pelo facto de esse pescoço ser preto, sendo este o
aspecto que mais permite diferenciar a espécie de outras do mesmo género. Assim, a descrição da ave em português
é “de-pescoço-preto”. O mesmo princípio é utilizado no nome específico
nigricollis (em que nigri = negro e collis deriva
de
collum = pescoço).
Uma vez estabelecido este princípio, acende-se uma luz sobre um vasto conjunto de nomes específicos que
apresentam a estrutura “parte do corpo + cor”. Ainda relativamente ao pescoço, são exemplos:
Noitibó-de-nuca-vermelha = Caprimulgus ruficollis
Papa-moscas-de-colar = Ficedula albicollis (recorde-se que o colar desta espécie é branco).

Esta estrutura lexical é utilizada para descrever as mais variadas partes do corpo. Um elemento que surge em diversos
nomes de aves é
capillus, que em latim significa cabelo. Daqui derivam nomes como por exemplo: Sylvia atricapilla. Já
aprendemos que
ater significa preto, por isso atricapilla significa então “Toutinegra-de-cabelo-preto” (na verdade o
nome vernáculo é toutinegra-de-barrete-preto). Outro exemplo referente ao nome capillus é o da
estrelinha-de-cabeça-
listada: Regulus ignicapilla. Considerando que igni significa fogo, então ignicapilla significa “cabelo-cor-de-fogo”, sendo
esta uma referência à risca cor-de-laranja que esta espécie apresenta na coroa.

Não menos característica é a testa, que em latim se diz
frons. Alguns nomes que utilizam este elemento são o do
ganso-grande-de-testa-branca Anser albifrons, sendo que o nome específico deriva de albi (branco) + frons (testa).
Idêntica estrutura tem o nome científico da
andorinha-do-mar-anã Sterna albifrons (recorde-se que os adultos desta
espécie apresentam a testa branca, contrastando com o barrete preto).

Foquemo-nos agora no bico da ave. O bico é um elemento corporal que apresenta uma grande variabilidade de
espécie para espécie, no que forma e tamanho diz respeito, e por isso presta-se bastante a ser referido como
elemento característico nos nomes das aves. Bico em latim diz-se rostrum e são vários os nomes que daqui derivam.
Um caso interessante é o do
alfaiate Recurvirostra avosetta – neste caso o nome genérico é composto por recurvi +
rostrum, o que significa bico curvo (ou recurvado). Outro exemplo deste grupo é o do pintarroxo-de-bico-amarelo
Carduelis flavirostris, cujo nome específico deriva de flavum + rostrum, ou seja “de-bico-amarelo” (veja-se o segundo
artigo desta série para o significado das cores). Ainda um outro exemplo é do raro maçarico-de-bico-fino
Numenius
tenuirostris
– aqui o nome específico resulta da justaposição de tenuis + rostrum (que significa de bico fino).
Há mais nomes que fazem referência ao bico sem recorrer ao nome
rostrum – é o que acontece com o maçarico-real
Numenius arquata
, em que o nome arquata deriva de arcus (arco) e significa “dotado de um arco” – uma óbvia
referência ao bico longo e arqueado; outro exemplo é o do
merganso-de-poupa Mergus serrator, em que o nome
específico serrator constitui uma referência à serrilha que as aves desta espécie possuem no bico e que lhes
permitem segurar os peixes de que se alimentam.

Um outro conjunto de nomes de origem latina faz referência à cauda das aves. O caso mais óbvio é o do
chapim-
rabilongo Aegithalos caudatus – neste caso o nome específico (caudatus) apenas significa que a ave tem cauda. À
primeira vista, esta descrição não faz muito sentido, uma vez que todas as espécies têm cauda. No entanto, o nome
teria certamente por objectivo colocar a ênfase no comprimento da cauda, que é invulgarmente longa nesta espécie.
Uma outra solução foi adoptada no nome do
moleiro-de-cauda-comprida Stercorarius longicaudus, em que o nome
específico resulta da composição de “
longi + caudus”, o que significa “cauda longa”, dando uma descrição mais
precisa da morfologia desta ave.
Decifrando os nomes científicos
V – Com cabeça, tronco e membros

por Gonçalo Elias
Este artigo foi originalmente publicado na revista Pardela, nº 38 (2010)
São devidos agradecimentos à Profª Leonor Santa Bárbara, da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade
Nova de Lisboa, pela verificação da grafia e do significado nos nomes latinos e gregos .

Citação recomendada:
Elias, G., 2011.
Decifrando os nomes científicos: V - Com cabeça, tronco e membros in avesdeportugal.info [em linha].
Consultado em aaaa.mm.dd. Disponível em: http://artigos.avesdeportugal.info/nomes5
avesdeportugal.info
© avesdeportugal.info - Todos os direitos reservados. Desenvolvido por CiberAjuda.com
Fatbirder's Top 1000 Birding Websites